Brics anunciam criação de banco de desenvolvimento comum

Brics anunciam criação de banco de desenvolvimento comum:
Durante a 5ª cúpula do Brics (bloco formado pela África do Sul, Brasil, China e Rússia) que acontece nesta quarta-feira (27) em Durban, África do Sul, autoridades dos países membros discutirão a criação de um banco de desenvolvimento comum (Foto: EFE/GCIS/HO)
Durante a 5ª cúpula do Brics (bloco formado pela África do Sul, Brasil, Índia, China e Rússia) que acontece nesta quarta-feira (27) em Durban, África do Sul, autoridades anunciaram a criação de um banco de desenvolvimento comum (Foto: EFE/GCIS/HO)

O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, anunciou nesta quarta-feira (27) durante a na 5ª Cúpula do Brics, em Durban, na África do Sul, a aprovação da criação do banco do Brics (grupo formado pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). Segundo as autoridades dos países membros, a instituição bancáriavai colaborar para o desenvolvimento das nações emergentes.
>> Os BRICs voltarão a crescer como antes?  
Segundo Dilma, trata-se de um esforço para instituir ferramentas de apoio mútuo. "É um mecanismo de estabilidade que pode criar linhas recíprocas de crédito, fortalecendo a solidez do mercado internacional.”
>> O sonho americano, brasileiro, chinês... 
A instituição bancária terá os mesmos moldes do Banco Mundial (Bird). Cada país que integra o Brics deverá destinar US$ 10 bilhões para formar o capital inicial do banco, que deverá chegar a US$ 50 bilhões. O banco centrará as ações no financiamento de infraestrutura e atuará em concorrência direta com o Bird. A proposta é criar um fundo, estimado em US$ 100 bilhões, para ajudar países emergentes com problemas financeiros.
>> O eclipse do Brasil: o país não brilha mais no céu das finanças globais 
A ideia é que a nova instituição bancária seja uma espécie de alternativa ao Banco Mundial e ao Fundo Monetário Internacional (FMI). Segundo Dilma, é importante manter uma posição de otimismo, mesmo diante das dificuldades causadas pela crise econômica internacional, que atinge principalmente os 17 países da zona do euro.
>> Li Jinzhang: “A China quer deixar um legado de inovação” 
“Devemos ter otimismo e dinamismo, reiterar a confiança e manter uma atitude contra o pessimismo e a inércia que atingem outras regiões. Vamos responder a essa crise com vigor”, disse a presidente. Durante seu discurso, Dilma afirmou que o grande desafio do Brics é perar as dificuldades econômicas e sociais para atingir o mesmo nível dos países desenvolvidos.
NP
Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mais Acessados

Mais 1ndic@ções